Internet e o sapo fervido

A internet está aí para todos. Tem gente que vive só da venda de diárias em hotéis. É comprar e vender. Como um produto comum, uma mercadoria. Tem gente que ganha mais de US$ 1 milhão por ano, trabalha de bermudas em casa vendendo destinos para turistas internacionais. É claro que por trás de qualquer ação, existe uma ciência. Não é tão fácil assim. Chegar e conseguir da noite para o dia fazer milhares de dinheiros. Mas é possível sim. Basta querer, pesquisar e planejar. Saber qual é a demanda, a bola da vez. Juntar os palitos, montar o castelo com bases sólidas aliado a um bom e sério trabalho. O sucesso chega na hora certa, no momento preciso.

A internet está no ar há pouco mais de 10 anos. Começou no dia 1º de janeiro de 1996. Alguns anos depois houve a bolha, onde muita gente vendeu seus projetos por 200, 300, 400 milhões de doletas. Se deu bem prá xuxu. Depois o mundo caiu na real e viu que não era simples assim. Todos recuaram. O site Uol demorou muito tempo para sair do vermelho, a Aol se deu mal. Outros ainda batalham por um espaço no Sol. Mas, precisamos concordar que a nova bolha já está acontecendo. A geração que nasceu com a internet estará daqui a pouco assumindo e ocupando cargos de direção e utilizando a internet como nossa tia usava o caderno para escrever receitas ou a escova para pentear o cabelo. Quando a geração pré-internet se aposentar daqui a alguns anos e a pós-internet assumir de vez as rédeas do business cada vez mais globalizado, aí sim iremos ter a nova onda chegando na praia e trazendo tecnologias nunca antes vistas – alguém aí lembra do filme Minority Report do Spielberg? Pois é, daqui há pouco teremos tudo aquilo em nossas mãos.

O que não podemos fazer é ficar esperando os acontecimentos chegarem. Quem cursou Administração, certamente foi lecionado com o exemplo do sapo fervido: pega-se uma panela grande, coloca-se água fria e leva-se ao fogo. O único ingrediente é um sapo vivo, que fica boiando calmamente e não percebendo a água esquentar. Quando percebe já é tarde. O sapo morre. A segunda opção é pegar a mesma panela com água, esperar pela fervura e jogar o sapo vivo lá dentro. O bicho dá um baita pulo e salta fora. É a reação que precisamos ter todo os dias. Lutar pelo novo sempre! Inovar! E aí? Que sapo você é? O fervido ou o pode-vir-quente-que-eu-estou-fervendo? Fui!

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: