Klaatu barada nikto!*

Ontem asssiti o remake do filme O Dia em que a Terra Parou – The Day the Earth Stood Still, com Keanu Reeves. Tenho o DVD da primeria versão de 1951, em preto e branco, e acho bem mais legal. O novo filme não é ruim, apesar da atuação mecânica de Keanu, que lembra muito o personagem da trilogia Matrix.

No primeiro filme, o alienígena Klaatu interpretado por Michael Rennie (1909-1971), vem ao nosso planeta para fazer, em nome de todas as civilizações interplanetárias, um alerta aos líderes terráqueos: “parem com as guerras porque elas causam um desiquilíbrio no Universo. Se continuarem, teremos que intervir.”

Na produção de 2008, o motivo da vinda de Klaatu é mais radical, ele vem para parar de vez com o principal problema da Terra ou seja, nós! Os infames seres humanos que estão destruindo o planeta com a poluição gerada em nome do de$envolvimento.

Não é de hoje que acredito em outras civilizações interplanetárias. É uma questão de lógica, o Universo sendo infinito abriga milhões de estrelas e planetas, é óbvio que existem outros seres! As negações feitas por várias pessoas podem estar baseadas em ignorância, egoísmo, medo e interesses próprios. O que aconteceria se os EUA admitissem a existência deles? Teriam que dizer que a energia nuclear e outros avanços tecnológicos foram ensinados por eles? Roswell e muitos outros casos seriam desmascarados e a revolta seria grande. As instituições religiosas perderiam o foco, pois afinal, eles não disseram sempre que somos a imagem e semelhança do Grande Organizador Divino (God)? E aí, como explicariam a imagem e semelhança dos extra-terrestres? Provavelmente, quando vierem para salvar o planeta, vão ser chamados de filhos do demo e serão recebidos com chumbo.

Precisamos aprender a olhar para o céu e não aos nossos sapatos, precisamos aprender a escutar o coração, olhar com amor para os outros! Aí, sisters & brothers, poderemos mudar finalmente a nossa história.

Uma coisa é certa, os hotéis poderão aproveitar a vinda deles e criar pacotes com experiências realmente únicas para os ETs, ou não? Bom, vou nessa! Ótima semana pra você!

*Klaatu barada nikto é o que o personagem Klaatu diz ao robô Gort para ele não sair matando todo mundo. No primeiro filme, esse momento é muito mais emocionante!

Advertisements
  • Posted in: 1

1 Comentário

  1. Parabéns, pela excelente resenha. Eu também assisti a versão original quando criança e mantenho as mesmas convicções até hoje. Quanto à hotelaria, ramo que começo em que estou iniciando, como prestador de serviços na área de Treinamento e Desenvolvimento, vejo que terá que olhar além de suas fronteiras, além de seu espaço geográfico, mas isto, é outra história. No momento, é preciso que funciuonários e dirigentes não sejam tão robotizados, que enxerguem os hóspedes como membros da comunidade humana e não como belicosos extra terrestres, como acontece em alguns lugares. O filme serve para refletir sobre comportamentos em diversos segmentos da Humanidade.
    E, mais uma vez, parabéns pela clareza e objetividade.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: